Certus, o programa de fidelidade da Macdata

Software para cálculos judiciais, agora mais barato que um game, acompanha advogados em suas versões e atualizações

Certus Web

Certus Web

Não há reconhecimento maior da qualidade de um produto que a fidelidade a ele por parte dos consumidores. Quando o assunto é software, o uso contínuo ao longo do tempo – versão após versão, atualização após atualização – por grande número de usuários demonstra que o programa atende aos requisitos propostos em matéria de confiabilidade, desempenho e relação custo/benefício. Assim vem ocorrendo com o programa Certus, voltado à elaboração de cálculos judiciais e administrativos. Devido a seu estrondoso sucesso, essa estrela da Macdata já atingiu um patamar de massificação no mercado que permitiu à softwarehouse paulista oferecê-lo agora a um preço menor que a maioria dos games à venda no Brasil – isso a título de comparação. “Com a economia de tempo conquistada num único cálculo efetuado pelo Certus, o usuário recupera o que investiu, tomado como base o valor da hora de trabalho especializado. Além, é claro, de escapar de eventuais escorregões da matemática financeira, inclusive na aplicação de índices”, garante o diretor da Macdata, Antonio Carlos Alvim de Macedo.

De uso praticamente diário no escritório curitibano Bonfim, Sabino, Puppi, Bittencourt e Cantergiani, o Certus é ferramenta “descomplicada” e de uso “intuitivo”, segundo o advogado Thiago Wiggers Bitencourt, um dos sócios. “Já utilizávamos a versão anterior do Certus, instalada nos computadores, e agora adotamos a versão web. Só precisamos recorrer ao suporte técnico da Macdata na hora da transição. De resto, o programa de cálculos judiciais é bem amigável”, avalia o advogado especialista em Direito Processual Civil que tem como base de atuação o Estado do Paraná. O Certus auxilia o escritório especialmente no cálculo de dívidas entre particulares, mas a multidisciplinariedade do escritório, com processos em variados ramos do Direito, faz com que o software aumente a produtividade em geral. “É um programa completo”, atesta.

Outro cliente da Macdata que não abre mão do Certus é o escritório da advogada Gilvania Lenita da Silva Lima, em Carapicuíba (SP), usuário desde 2009. “Somos um escritório familiar, mas isso não implica dispensar a produtividade. Daí nosso uso cotidiano do Certus”, diz a causídica. Na mudança para a versão online, Gilvania admite algum estranhamento, mas aposta que em breve estará “totalmente acostumada” com a novidade. Afinal, uma das maiores demandas do escritório está na área de cálculos previdenciários. “Lembro como exemplo dos cálculos para um cliente envolvendo dez anos de contribuições. Utilizando o Certus, efetuamos todas as operações em meio dia de trabalho. Se fosse apenas com uma calculadora e tabelas, seria preciso uma semana”, cita a doutora Gilvania.

Online

Adotado inclusive por instâncias do Poder Judiciário, o Certus Web é um sistema online que executa cálculos judiciais e extrajudiciais, possibilitando a apuração de resultados precisos e permitindo a apresentação e contestação de valores. Oferece uma infinidade de aplicações, abrange as regras do novo Código Civil e contém mais de 40 índices atualizados automaticamente, proporcionando apoio para o fechamento de acordos. O Certus emite relatórios detalhados personalizados com o nome e o logotipo do usuário. Pode ser acessado inclusive via smartphones e tablets. O programa conta com suporte técnico da Macdata.

mac pje

BannerUltimaInstancia_SuperBanner_CertusWeb

Macdata lança software para elaboração de petições eletrônicas

O MAC PJe, já disponível online no site http://www.macpje.com.br, chega aos advogados no momento que o STJ abandona definitivamente o papel como suporte peticional

Já está à disposição para download na Internet – no site http://www.macpje.com.br – a solução integrada da Macdata para advogados que precisam elaborar petições eletrônicas destinadas aos diversos tribunais brasileiros. Denominado MAC PJe, o software foi aprovado em testes de laboratório, submetido a um grupo de usuários selecionados e agora pode ser experimentado gratuitamente por qualquer internauta pelo período de dez dias. Depois disso, estará ao alcance dos usuários mediante assinatura anual.

“O Mac PJe é um produto que atende a uma necessidade extrema neste momento. Sua concepção coloca em primeiro lugar a praticidade, o que é mesmo prioritário em se tratando de petições eletrônicas. É um produto inovador, sem dúvida, que traz benefícios a todos os advogados brasileiros”, observa o advogado Rodrigo Prates, presidente da Comissão de Parcerias da OAB Guarulhos e um dos integrantes de um grupo escolhido para conhecer de antemão a funcionalidade do MAC PJe. O lançamento do Mac PJe ocorreu logo em seguida à entrada em vigor da exigência do STJ (Superior Tribunal de Justiça) quanto a petições eletrônicas, no primeiro dia de outubro

“Desenvolvemos o MAC PJe em poucos meses, depois de termos percebido uma forte demanda por parte de advogados, escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas embaraçados na tarefa de elaborar petições eletrônicas”, explica Antonio Carlos Alvim de Macedo, diretor da Macdata, empresa que há 25 anos atua no desenvolvimento de softwares jurídicos e soluções em gerenciamento eletrônico de documentos.

Características:

É de fácil utilização, mesmo por usuários resistentes a inovações;

– Converte arquivos dos tipos .doc, .xls, .tiff e .jpg em PDF;

– Reduz o tamanho das imagens em mais de 90%;

– Gera PDF compactado;

– Permite a seleção de páginas para a composição da petição;

– Ordena as páginas da petição;

– Admite a inclusão ou retirada de páginas no documento gerado;

– Salva o projeto de montagem da petição, evitando retrabalho;

– Recebe atualizações automáticas.

Segundo Macedo, dentre os benefícios do MAC PJe figura, em primeiro lugar, o aumento da produtividade dos profissionais e empresas mediante economia de tempo e melhoria na apresentação das petições eletrônicas, “formatadas com elegância e dentro dos padrões exigidos pelos tribunais.” É também, segundo o diretor da Macdata, “uma garantia de que o documento será aceito pelo receptor da mensagem por enquadrar-se nos parâmetros técnicos estabelecidos.” O produto conta com suporte integral da Macdata.

MAC PJe

Certus Web

Adoção de TI otimiza processos dos escritórios, diz diretor da Macdata

Por Talula Mel

A demanda por serviços de TI é proporcional à evolução da tecnologia e à mudança de costumes”, afirma Antonio Carlos Alvim de Macedo, diretor da Macdata Tecnologia, empresa que fornece softwares e serviços à área jurídica.

Antonio Carlos Alvim de Macedo, diretor da Macdata Tecnologia

Antonio Carlos Alvim de Macedo, diretor da Macdata Tecnologia

Em entrevista ao Última Instância, Macedo falou da adoção da TI no universo jurídico. “A otimização dos processos, que vão desde a eliminação do papel até a prestação de serviços em home office”, vem sendo crescentemente procurada pelos profissionais da área. Segundo ele, com a apropriação da tecnologia de informação pelas instâncias jurídicas no Brasil, a tendência é que a demanda por esses serviços avancem também nos escritórios privados de advocacia.

Leia a seguir a íntegra da entrevista com o diretor da Macdata:

Última Instância: Como você avalia a adoção da Tecnologia da Informação pelos escritórios de advocacia brasileiros nos últimos anos? A demanda dos escritórios por serviços de T.I tem crescido muito?

Antonio Carlos Alvim de Macedo: A demanda por serviços de TI nos escritórios de advocacia caminha juntamente com a evolução da tecnologia e a mudança de costumes. Não é preciso voltar muito no tempo para constatar a evolução dos equipamentos. Hoje, com um smartphone, é possível consultar processos pela Internet, fotografar e enviar documentos, interagir com sistemas de gestão e mais. Portanto, a demanda tem crescido por serviços que otimizem o tempo, aumentando a produtividade.

A Tecnologia da Informação está amplamente difundida nos escritórios de advocacia?

Macedo: Um fator importante na difusão e adoção de práticas e sistemas é a própria informatização da Justiça brasileira. Uma vez que o poder público evolua na tecnologia da informação, a tendência é a adoção de novos processos por parte da iniciativa privada.

Atualmente, o nível de utilização de TI nos escritórios no Brasil está em linha com o que já é adotado por seus pares na Europa, Estados Unidos ou América Latina?

Macedo: A Justiça brasileira possui características próprias. Um exemplo é a Justiça do Trabalho, que permite grande quantidade de recursos impetrados em um processo. Isso dificulta a comparação com outros países. Algumas práticas, entretanto, como a padronização dos documentos judiciais, requerimentos e outras já adotadas no exterior, seriam muito bem-vindas no Brasil. Destaco, como facilitador, a leitura eletrônica desses documentos.

Como a TI pode contribuir para uma gestão mais eficiente do escritório?

Macedo: Otimizando processos, que vão desde a eliminação do papel até a prestação de serviços em “home office”. Essa modalidade de trabalho, por sinal, já é adotada por muitos escritórios de porte na cidade de São Paulo.

O menor crescimento da economia afetou a demanda dos escritórios por produtos e serviços de TI?

Macedo: Quando a expansão dos negócios é reduzida, em função de problemas econômicos, temos de buscar maior eficiência com os mesmos recursos financeiros. Esse fenômeno está ligado diretamente à adoção de tecnologias que proporcionem maior produtividade. Portanto, em teoria, a demanda por produtos e serviços de TI em tempos de vacas magras deveria aumentar. Mas, em muitos casos, isso não acontece em razão do fator psicológico sugerir o famoso “pé no freio” em matéria de novos investimentos.

Qual é sua avaliação sobre a informatização dos tribunais no Brasil? O processo tem sido muito lento? Há críticas a esse processo de adoção de TI pela Justiça?

Macedo: Existem dificuldades tremendas, a começar pelo conservadorismo, passando pelo corporativismo e desaguando na má aplicação de recursos. Todos esses fatores combinados têm impactado negativamente no processo como um todo. Podemos, contudo, avaliar como positivo o progresso na informatização dos tribunais na medida em que boa parte já está operando de forma satisfatória no âmbito da tecnificação.

Quais são os carros-chefe da Macdata? O que estes serviços oferecem? Para a empresa, como o mercado tem se comportado em 2013?

Macedo: A Macdata está presente no mercado há 25 anos, desenvolvendo softwares e serviços de apoio à advocacia. Em parceria com a UOL Diveo, disponibilizamos servidores e infraestrutura robusta para empresas e escritórios dos mais variados portes. Hoje em dia atuamos na guarda de documentos, digitalização, classificação de processos, execução de cálculos judiciais, gestão de riscos e provisionamentos, levantamentos de passivos e fornecimento de softwares de gestão integrados. Este é um ano marcante para a Macdata. Isso porque estaremos disponibilizando a aplicação Procálculo (cálculos trabalhistas e cíveis), totalmente integrada ao nosso sistema de gestão Intersap e ao SAP. Viabilizando provisionamentos, acordos e liquidações com agilidade e segurança, esse novo software comprovará mais uma vez a capacitação da Macdata como o laboratório que mais apresenta soluções inovadoras para o universo jurídico nacional.

Entrevista veiculada no Especial GESTÃO JURÍDICA da Última Instância, patrocinado pela Macdata.