Cálculos de provisionamentos são elementos essenciais ao budgeting

Precisão faz a diferença na hora de preparar orçamentos das empresas

diretor-presidente-da-MacdataAntonio Carlos Alvim de Macedo*

Não há como esperar um bom desempenho futuro das empresas se o orçamento para o período seguinte deixar de considerar fatores básicos, como os provisionamentos. Por definição, provisionamentos são reduções de ativo ou acréscimos de exigibilidade que reduzem o patrimônio líquido e cujos valores não são ainda totalmente definidos.

Representam, assim, expectativas de perdas de ativos ou de valores a desembolsar que, apesar de financeiramente ainda não efetivadas, derivam de fatos geradores contábeis já incorridos. Isto é, dizem respeito a perdas economicamente incorridas ou prováveis valores a desembolsar originados de fatos já acontecidos.

Na hora do budgeting, é importante preparo e ferramentas adequadas para lidar com a matemática financeira e atuarial exigida nos provisionamentos e outros itens orçamentários. Estimativas muito elevadas imobilizam capital, enquanto o inverso pode impactar no fluxo de caixa.

Características dos provisionamentos:

  • Representam um fato contábil já incorrido;
  • Reduzem o Patrimônio Líquido;
  • Correspondem a expectativas de perdas de ativos ou a estimativas de valores a desembolsar;
  • Configuram compromissos financeiramente não efetuados;
  • Representam valores ainda não definidos, apenas estimáveis.

Além dessas características, ressalta-se que as provisões são constituídas em obediência aos princípios contábeis da prudência, competência e oportunidade. Algumas vezes os provisionamentos podem ser utilizados como artifícios contábeis visando estimar lucros menores. Empresas que aumentam demais seus provisionamentos para devedores duvidosos, de forma desproporcional à inadimplência, podem estar tentando maquiar seus resultados. Por outro lado, subestimar perdas pode acarretar em transtornos para o caixa, obrigando a empresa a tomar empréstimos emergenciais. Na esfera judicial, é necessário estabelecer valores confiáveis dentro dos critérios de classificação de riscos. É preciso analisar os custos de manutenção do contencioso.

A fim de que sejam apurados valores confiáveis, é necessário integrar os sistemas de folha de pagamento e ponto eletrônico ao sistema de cálculo. Caso contrário, por mais que se adotem critérios de apuração, o resultado será ilusório, comprometendo todo o processo de classificação de risco e o consequente provisionamento. Como os processos envolvem diversos agentes, é de suma importância que o controle seja efetuado de forma digital, online. Desta forma, obtém-se interação em tempo real fazendo com que os resultados transitem dentro dos prazos necessários.

Responsabilidade

Deve ser de exclusiva competência da empresa o domínio financeiro. Esta responsabilidade não pode ser transferida aos escritórios jurídicos, que devem se restringir à função de classificar os riscos de perda aos títulos já calculados. Muitas empresas delegam todas as etapas do processo jurídico a um escritório terceirizado. Mas essa opção não leva em consideração o grau de complexidade e envolvimento de áreas especializadas, principalmente a financeira.

Cálculos de provisionamentos exigem precisão e equilíbrio. Coloque essa importante tarefa no topo da escala de prioridades.

*Diretor da Macdata Tecnologia, participou de levantamentos de passivos e de geração de processos e softwares de controle em empresas como a Petrobras, Votorantim e Mahle.

Procálculo